O site da Contabilidade Cidadã utiliza cookies. Saiba mais sobre nossas Políticas de Cookies clicando aqui. Ao navegar você concorda com a sua utilização.
Saiba mais sobre os cookies em nossa Advertência Jurídica e Políticas de Privacidade

Os elementos de um planejamento de estudos

Os elementos de um planejamento de estudos

Olá, pessoal. O propósito deste texto é tratar brevemente do planejamento de estudos, que é, sem sombra de dúvida, etapa-chave para um estudo com foco no resultado, ou seja, direcionado para a aprovação.

De início, um ponto importante a se ressaltar: apesar da enorme importância, vejo uma grande quantidade de estudantes que não dão a devida atenção ao planejamento, seja por desconsiderarem relevante, seja por dificuldades para realizar a tarefa e/ou colocá-la em prática.

Nesse contexto, considerando os benefícios de um bom planejamento, depois de encontradas as razões que levam o estudante a optar por um concurso público e determinado um foco para os estudos, é necessário levantar informações e planejar. Essa tarefa é realizada de acordo com 4 elementos básicos, que devem ser combinados: conteúdotempométodos e sistema.

Em uma definição bem simples, o planejamento é “distribuir o conteúdo a ser estudado no tempo, de acordo com os métodos mais adequados, registrando tudo em um sistema”.

A seguir, descrevo cada um desses elementos:

  • Conteúdo

O conteúdo deriva diretamente da escolha do foco e é estabelecido em duas situações distintas:

  1. Quando o edital de interesse já foi publicado: Nessa situação, o estudante deve seguir exatamente o que está no conteúdo programático, estudando estritamente os itens e subitens estabelecidos.

  2. Quando ainda não há um edital publicado: Caso em que o estudo deve ser mais amplo, cobrindo os assuntos de forma mais completa. Aqui, novamente, duas possibilidades:

    1. Se o foco é em um único cargo: o conteúdo deve ser estabelecido com base nos conteúdos previstos nos últimos editais do cargo específico;

    2. Se o foco é em uma área (ex. Área Fiscal): o conteúdo deve ser estabelecido com base na combinação dos conteúdos previstos nos últimos editais de diferentes concursos (ex. Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, Agente Fiscal de Rendas da SEFAZ-SP, Auditor-Fiscal da Receita Estadual da SEFAZ-GO etc.)

  • Tempo

Todos nós temos uma rotina com diversas atividades a serem realizadas, ao longo de períodos de tempo, como semanas, mês, semestres etc. Então, o primeiro passo é fazer um mapeamento preciso e honesto dessa rotina, com o objetivo de verificar o tempo que será disponível para os estudos.

Nessa tarefa de levantamento de rotina, encontramos atividades das seguintes naturezas:

  1. As que são indispensáveis e imutáveis, não podemos dispensá-las em nenhuma hipótese, como o trabalho para diversas pessoas;

  2. Aquelas que podem ser suprimidas, ainda que temporariamente, como algumas atividades recreativas.

Conhecidas todas as atividades que compõem nossa rotina, devemos suprimir o máximo daquelas possíveis, para que possamos destinar o maior tempo possível para os estudos.

  • Métodos

Quando se pensa em métodos, é importante ter em mente que o estudo para concursos é um processocomposto de etapas, de modo que, em momentos diferentes, os métodos mais adequados serão diferentes.

Nesse ponto, uma informação relevante: o planejamento não é eterno. Ao logo do tempo, à medida que o estudo avança, são necessários ajustes que podem exigir alterações nos métodos.

Para a definição dos métodos adequados alguns fatores são observados:

– Percentual de cobertura dos assuntos a serem estudados até o momento;

– Desempenho histórico em questões;

– Tempo disponível para estudo;

– Banca da prova;

– Possibilidades de aquisição de materiais.

E de maior interesse é conhecer quais são esses métodos:

– Leituras (apostilas, livros ou aulas em PDF, lei seca);

– Visualização de aulas (presenciais ou videoaulas)

– Resolução de Questões (dos materiais de estudo ou de sistema de questões – ex.: Rota dos Concursos);

– Revisões (por materiais próprios ou produzidos por terceiros);

– Produção de materiais para revisões (resumos, flash cards, mapas mentais, fichas, grifos, etc.)

– Treinamento de elaboração de textos.

  • Sistema

Ao ler “Sistema”, imagino que a primeira ideia que vem à mente do estudante seja de complexidade. Mas não é necessário que seja nada complexo.

É claro que um sistema informatizado bem estruturado traz enormes vantagens para o planejamento e, depois, para o controle dos estudos. Mas um sistema pode ser algo tão simples quanto um caderno, no qual se registra o plano e, posteriormente, as informações sobre o estudo.

Assim, o propósito do sistema é registrar as definições dos três primeiros elementos: conteúdos, tempo e métodos, de forma que o plano seja facilmente visualizado para execução; e possibilitar o registro das informações à medida em que o plano é executado.

Enfim, um bom sistema possibilita: organização de informações, que são insumos muito preciosos para o processo de estudo; e análises necessárias para verificar a evolução nos estudos e as necessidades de alterações de estratégia, que resultam nas modificações no planejamento.

Conhecendo esses elementos essenciais para um planejamento efetivo, a elaboração do plano torna-se muito mais clara e fácil. E repito: a utilização de um plano de estudos é fundamental para um estudo de sucesso.

Aqui no Coaching do Gran Cursos Online, uma das principais vantagens do trabalho é a aplicação da nossa experiência nos estudos para analisar de forma personalizada a situação do estudante e elaborar os planos de estudos adequados para a aprovação. Além disso, o acompanhamento constante e personalizado permite que as alterações no planejamento sejam realizadas nos momentos adequados, otimizando o tempo e os recursos do Coachee.

Por fim, seja conosco, seja por conta própria, não deixe de planejar os estudos com cuidado e atenção para garantir o caminho certo para a aprovação.

Bons estudos e conte conosco na jornada. Grande Abraço!


Alexandre Morais

Analista Legislativo do Senado Federal. Exerceu os cargos de Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, Auditor Federal de Finanças e Controle da CGU e Analista Tributário da Receita Federal do Brasil. Aprovado e nomeado: Engenheiro Eletrônico da Celg.

Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!

Envie seu comentário